1

Livros em Português nas Bibliotecas do Japão

Você sabia que na maioria das cidades onde residem um número razoável de brasileiros, possuem nas bibliotecas públicas livros em português?

Faça uma visita e veja os títulos disponíveis! Eu fiquei surpreso com o número de títulos disponíveis aqui na minha cidade!

Aproveite, pois não é cobrado nenhuma taxa para usufruir desses livros! Fica a dica!

Se repararmos no cotidiano dos japoneses, vamos observar muito situações assim:

  • Pessoas lendo livros e jornais nos trens.
  • Pessoas lendo livros, revistas, mangas, na sala de espera de hospitais, dentistas, salão de beleza.
  • Revistas e jornais são disponibilizados para os usuários de Bancos e órgãos governamentais enquanto aguarda sua vez de ser atendido
  • Nas lojas de conveniência é muito comum encontrar pessoas lendo revistas e mangas que estão à venda
  • Muitos restaurantes também disponibilizam material de leitura para seus clientes.
  • Livrarias é muito comum encontrar cadeiras e aposentos para leitura dos livros que pretende comprar, revistas e mangás também são muito lidos neste local, mesmo em pé. Livrarias tem locais próprios para crianças poderem escolher livros mais à vontade.
  • Livros no Japão, são editados em vários tamanhos, facilitando levar na bolsa para qualquer lugar.(tipo livros de bolso)

Os preços também não são tão caros, utilizando material um pouco inferior para não encarecer demais.

Para aqueles que desejarem, a livraria também oferece um serviço de encapar o livro, para que você pode tenha mais privacidade pelo tema escolhido e boa manutençao do livro.

É muito comum, pessoas revenderem livros e adquirirem outros em lojas de USADOS, como o BOOK OFF e outros estabelecimentos similares, por um preço bem mais acessível.

bibliotecas publicas2

No Japão não tem Banca de Jornais como no Brasil, mas revistas, jornais e mangás são vendidos nas estações de trem, lojas de conveniência, supermercados. A leitura é uma atividade comum entre crianças, adolescentes, adultos e idosos.

Existem empresas que oferecem <locação> de revistas e mangas para restaurantes, hospitais, bancos, salão de beleza, barbearia. Semanalmente ou quinzenalmente substituem o lote de revistas e mangás do estabelecimento comercial, deixando sempre material atualizado e recente para leitura dos clientes e fregueses.

Mesmo com o advento dos smartphones, em qualquer lugar encontramos pessoas consultando algo no aparelho celular, ainda são observados muitas pessoas que não deixaram de ler livros, revistas e mangas.

A leitura frequente ajuda a criar familiaridade com o mundo da escrita. A proximidade com o mundo da escrita, por sua vez, facilita a alfabetização e ajuda em todas as disciplinas, já que o principal suporte para o aprendizado na escola é o livro didático. Ler também é importante porque ajuda a fixar a grafia correta das palavras. (divulgado 

Como ensinar a seu filho que ler é um prazer)

Criança japonesas aprender a leitura dos caracteres (hiragana e katakana) desde cedo, muito antes do período de alfabetizaçao. Não é difícil encontrar crianças com 3 a 4 anos, que já realizam a leitura dos principais caracteres japoneses. Existe uma grande variedade de livros infantis, ricamente ilustrados.

É muito comum encontrar nas salas de atendimento de hospitais, por exemplo, mães que lêem livros para os filhos, muitas vezes acompanhando com o dedo a grafia, ajudando a criança a fixar também os caracteres, favorecendo o processo de aprendizagem.

Nas escolas, desde a primeira série do primário, LEITURA DE TEXTOS é uma das lições de casa diária, sempre acompanhada pelos pais. Nas férias escolares, também é recomendado a leitura de livros e dissertações a respeito.

Crianças japonesas leem média de 35,9 livros por ano (2007), ou seja, um livro a cada dez dias. (Ministério da Educação, Ciências e Tecnologia do Japão). Para termos comparativos, os brasileiros (entre adultos e crianças) leram uma média de 4,7 livros por ano (2008). Nos Estados Unidos, a população lê, em média 11 livros por ano. Os franceses lêem sete livros por ano.

Livros em língua estrangeira nas bibliotecas do Japão

Bibliotecas não são locais para estudantes somente. Encontramos crianças, estudantes, adultos, idosos, a população de um modo geral, frequenta a Biblioteca como um espaço de lazer, cultura e entretenimento.Além de livros, estão disponíveis revistas, mangás, vídeos.O Japão possui 3.126 bibliotecas(2008) – 図書館(としょかん)

4bibliotecas publicas4

Em quase todas as bibliotecas encontramos livros e revistas em outras línguas (inglês, espanhol, francês, árabe, etc), inclusive em português. A grande parte do acervo é doado por entidades, consulados, empresas e particulares.

Por exemplo, em Okazaki, Aichi, encontramos livros didáticos, enciclopédias, atlas, dicionários, revistas, romances, livros técnicos, livros de receitas e muitos outros temas. Disponíveis para empréstimo por duas semanas. Serviço gratuito. Basta levar o documento de identificação (Zairyu Card, carteira de motorista, Cartão do Seguro Saúde) e fazer a inscrição. O serviço é gratuito.

Você já visitou a biblioteca de sua cidade?

Se você tem livros em português que não vai precisar mais, está de mudança para o Brasil, leve seu acervo à Biblioteca local e faça a doação. Muitos outros leitores, entre japoneses e estrangeiros, serão beneficiados.

Muitas crianças que nasceram no Japão e não tem acesso às informações do Brasil pela internet, poderão conhecer um pouco mais do Brasil, através dos livros. Além de um grande incentivo à aprendizagem da lingua portuguesa. Não somente crianças, mas adultos também poderão encontrar livros interessantes. Muitos japoneses estudam o idioma português e tem real interesse pelo Brasil, poderão encontrar nos livros, revistas, atlas, muitas informações.

Você conhece a Biblioteca do Consulado de Hamamatsu?

A Biblioteca do Consulado-Geral do Brasil em Hamamatsu tem, como objetivos principais, incentivar a leitura, a pesquisa, o estudo e o lazer, além de levar informação à comunidade. Está aberta a todos os admiradores do idioma português, e irá permitir que a procura de títulos e a solicitação de livros para empréstimo sejam realizadas pela Internet, na página do Consulado-Geral.

Assim, espera-se que esta iniciativa incentive o hábito e propicie, aos cidadãos, o prazer da leitura, bem como ofereça oportunidades para a ampliação do conhecimento e o desenvolvimento da individualidade, da imaginação e do senso crítico.

O horário de funcionamento da Biblioteca será de segunda-feira a sexta-feira, das 9:00h às 15:00h.

O acervo da Biblioteca destina-se a todos os cidadãos interessados pelo idioma português, sendo necessário, apenas, possuir carteira de Matrícula Consular do Consulado-Geral do Brasil em Hamamatsu. Para os residentes fora de nossa jurisdição (Província de Shizuoka) e que não possuam carteira de Matrícula Consular, haverá necessidade de registrar-se, pessoalmente, no Consulado-Geral em Hamamatsu.

SERVIÇO DE EMPRÉSTIMO

  1. Empréstimo particular – a requisição de livros poderá ser feita pela Internet ou no balcão de atendimento do Consulado-Geral, mediante preenchimento de cadastro pelo próprio requisitante, sendo obrigatória sua identificação, através do número de matrícula consular ou registro no Consulado-Geral. Deverão constar, necessariamente, os seguintes dados pessoais: nome completo, número de telefone, endereço completo e e-mail para contato. Cada leitor poderá requisitar, no máximo, dois livros por vez.
  2. Empréstimo para escolas – o empréstimo para a utilização em escolas deverá ser realizado mediante o preenchimento de cadastro pelo diretor do estabelecimento ou por professor previamente autorizado, especificando os títulos, a quantidade (no máximo dez por vez) e a data de retirada dos livros.
  3. Para leitores individuais, o prazo para devolução será de uma semana, renovável por igual período. Para escolas, o prazo para devolução dos livros será de duas semanas, renováveis por igual período.
  4. O período de empréstimo só poderá ser renovado uma vez, e apenas se não houver interessados em lista de espera.
  5. A retirada e a devolução dos livros poderão ser feitas diretamente no Consulado-Geral, com os responsáveis pela Biblioteca, ou pelo correio. Neste caso, as despesas com o envio do livro correrão por conta do requisitante. Os livros não podem, em nenhuma hipótese, ser entregues a terceiros ou repassados a outros usuários da biblioteca, mesmo que estes estejam cadastrados.

Para maiores informações >> Consulado de Hamamatsu > Biblioteca

Aprendendo um pouco de japonês

bibliotecas publicas3

Gostou deste artigo? Compartilhe com os amigos!

Compar tilhe!
Clique aqui para deixar um comentário 1 comentários