1

Picada de Carrapato Madani com Vírus Causa Infecção e Mortes no Japão

O noticiário da TV japonesa e os jornais divulgam documentários e manchetes sobre carrapatos que causaram a morte de algumas pessoas depois de picadas por ácaro. Para quem não conhece os tipos de ácaros e carrapatos, ficam assustados, pensando que são os danis ( ダニ), ácaros que são encontrados em residências nos tatamis, carpetes, futons. Mas todo cuidado é pouco, porém informação é importante.

O Ministério da Saúde do Japão informou dia 19/02/2013, o aumenta para quatro o número de mortos devido a uma infecção causada por picadas de carrapatos. A última vítima, de Hiroshima, foi internada com febre e morreu dez dias depois. Exames de sangue detectaram um vírus presente nos carrapatos “madani”, que costumam ficar ativos entre a primavera e o outono, geralmente nos campos

Dois homens moradores das prefeituras de Ehime e Miyazaki, no oeste e sudoeste do Japão, morreram no ano passado pela infecção, conhecida pela febre alta com síndrome de trombocitopenia 「重症熱性血小板減少症候群」 – redução no número de plaquetas no sangue -, de acordo com o ministério. Ao todo, o número de mortos pela infecção é de quatro

Segundo informações da agência Kyodo, o ministério confirmou em janeiro que uma mulher adulta da prefeitura de Yamaguchi, no oeste do Japão, morreu no último outono japonês da síndrome. Não há registros de que as vítimas tenham viajado recentemente ao exterior.

Encontramos algumas informações sobre ácaros e carrapatos na homepage Info Escola, e transcrevemos abaixo:

Os ácaros, grandes vilões causadores de alergias em humanos (ácaros domésticos), são seres minúsculos, geralmente menores que um milímetro de comprimento, que pertencem à classe dos aracnídeos e fazem parte da subclasse Acarinaou Acari, da qual também fazem parte os carrapatos.

Estes seres diminutos têm explorado uma incrível variedade de habitats devido a sua pequena dimensão (a maioria são microscópicos) e são raramente notados. Grande parte dos ácaros vive livremente no solo ou na água, como também existem espécies que vivem como parasitas de plantas e animais vertebrados e invertebrados. Para se ter uma idéia existem cerca de 48.000 espécies diferentes de ácaros descritas.

Os ácaros domésticos são os responsáveis por causar diversas doenças alérgicas nos seres humanos (rinite, asma alérgica e dermatite atópica). Eles sobrevivem bem em colchões, tapetes, almofadas, sofás, bonecos de pelúcia e roupas de camas e adoram lugares úmidos. Alimentam-se de escamas de pele humana e de animais e são verdadeiras pragas domésticas (Os ácaros domiciliares reproduzem rapidamente). Um metro quadrado de um tapete em uma residência pode conter até 100 mil ácaros. Além disto, os excrementos dos ácaros e os ácaros mortos dispersam-se em poeira fina, o que pode ser facilmente inalado causando alergias. divulgado Info Escola

 

O que são carrapatos?

Carrapatos são parasitas externos, artrópodes, pertencentes à Ordem Acarina, que se alimentam do sangue do hospedeiro.

Onde vivem? – Dependendo da fase do ciclo de vida em que se encontram, podem viver tanto na superfície da pele do cão como no ambiente.

Quais animais são parasitados? – Geralmente animais domésticos, silvestres e, inclusive, o homem.

Como se alimentam?

Os carrapatos podem estar no solo, como, por exemplo, locais com vegetação (gramados) e também nas frestas de paredes sempre à espera de um hospedeiro. Quando percebe a passagem de um hospedeiro, dirige-se para ele, “passeando” pelo seu corpo até encontrar um local seguro, como o pescoço ou a cabeça, onde o cão não o possa arrancar. Logo após, o carrapato introduz o seu aparelho sugador na pele e, durante horas, alimenta-se do sangue do hospedeiro. Após a alimentação de sangue, desprende-se voluntariamente e cai no solo para continuar o seu ciclo.

Por que os carrapatos são tão prejudiciais para os animais e para o homem?

Existem vários mecanismos através dos quais o carrapato pode provocar doença ou lesão no hospedeiro:

  • Lesões pela ação das suas peças bucais na pele.
  • Efeitos tóxicos, pois a saliva do carrapato contém neurotoxinas que podem causar paralisia.
  • A ingestão de grandes quantidades de sangue pode levar à anemia e a um estado de fraqueza.
  • Transmissão de outras doenças causadas por protozoários, bactérias e vírus.

divulgado Scalibor

A Leh do Blog Vidasemvoltas, divulgou uma nota do Jornal Asahi sobre o assunto na fanpage e aproveitamos para publicar aqui e esclarecer quem tem dúvidas. A tradução do artigo em inglês foi feito pelo Google:

Tradução via Google:

Um vírus recém-identificado mortal provavelmente transmitida por carrapatos sugadores de sangue é preocupante depois que especialistas confirmaram que no Japão apenas alguns anos depois que surgiu pela primeira vez na China.

Fonte Jornal Asahi

Fonte Jornal Asahi

Até o momento, houve quatro mortes no Japão. O mais recente é o de um homem que morreu no verão passado em Prefeitura de Hiroshima após a contratação “febre grave, com síndrome de trombocitopenia” (STFC), o governo da província de Hiroshima, disse 19 de fevereiro.

STFC foi relatada pela primeira vez na China em 2009. Os cientistas identificaram o vírus por trás dele em 2011.

Figuras colocar a taxa de mortalidade em 12 por cento na China.

A doença foi detectada pela primeira vez no Japão no final de janeiro deste ano. Um médico pesquisando a morte inexplicável de um outono última mulher na Província de Yamaguchi solicitou ao Instituto Nacional de Doenças Infecciosas para testar amostras de sangue.

Depois de uma identificação positiva, o Ministério da Saúde chamou para obter informações sobre outros casos suspeitos em todo o país e reuniram amostras de sangue e outros.

Patologistas identificados novos casos em 13 de fevereiro e atribuiu as mortes no Outono passado de dois homens de Ehime e Miyazaki prefeituras de STFC. Todos os quatro casos ocorreram no oeste do Japão.

Existe hoje uma preocupação nacional. Instituições médicas e centros de saúde públicos fizeram cerca de 30 inquéritos com o ministério da saúde. Funcionários do ministério disseram que amostras de nove casos suspeitos aguardam testando.
A doença tem um período de incubação de entre seis dias e duas semanas. Os sintomas surgem então, que podem incluir febre, diarreia e dor de estômago. Também pode haver uma redução na concentração de plaquetas e glóbulos brancos do sangue.

Em todas as quatro mortes confirmadas, os pacientes morreram uma a duas semanas após o desenvolvimento de sintomas. Na época, os médicos eram incapazes de estabelecer a causa da morte, e nenhuma das vítimas tinha viajado no exterior imediatamente antes da infecção, disse o funcionário do ministério.

Como os quatro pacientes no Japão contraiu STFC permanece obscuro. Nenhum vestígio de picadas de carrapatos foram encontrados em seus corpos. Além disso, o vírus SFTS não foi encontrado em carrapatos no Japão.

Na China, o vírus foi encontrado em 5,4 por cento dos carrapatos colhidos em áreas endêmicas, o que sugere os carrapatos são os vetores.

Os carrapatos geralmente vivem em pastagens, e 97 por cento das infecções identificadas no STFC os agricultores chineses envolvidos em áreas montanhosas. Ácaros de ratos e ácaros não têm o vírus STFC.

Os vírus foram encontrados em quatro dos japoneses que morreram tinham um perfil quase idêntico genético, mas diferia ligeiramente a partir do genoma da estirpe chinesa.
Masayuki Saijo, diretor do Departamento de Virologia I, do Instituto Nacional de Doenças Infecciosas, disse que o vírus tinha sido provavelmente no Japão por algum tempo.

“Eu não acredito que estes vírus mortal surgiu do nada”, disse Saijo. “Um aumento acentuado de infecções é improvável.”

Mais de 200 pessoas na China são pensados em ter contraído a doença até o momento, de acordo com números chineses. Nenhuma vacina ou medicamento paliativos existem, assim o tratamento é centrado na terapia sintomática, tais como febre e aliviar a estancar a hemorragia.

Os carrapatos são comuns em toda a Ásia e Oceania. Normalmente, medindo apenas alguns milímetros de tamanho, um carrapato adulto incha para se assemelhar a um mirtilo quase 1 centímetro de largura após a excessiva ingestão de sangue de seu hospedeiro.

 

Matéria original da Asahi (a página não mais existe):
http://ajw.asahi.com/article/behind_news/social_affairs/AJ201302200053

Gostou deste artigo? Compartilhe com os amigos!

Compar tilhe!
Clique aqui para deixar um comentário 1 comentários