3

Você Toma Remédios por Conta Própria? Cuidados com a Automedicação e sua Saúde

Muitas pessoas aqui no Japão tem o costume da automedicação, principalmente os estrangeiros, que adquirem os remédios já acostumados a tomar no país de origem. Por mais acostumados que estejam, remédios sem prescrição e acompanhamento médico podem trazer graves problemas de saúde, agravamento de doenças até causar a morte. Nosso organismo está em constante mudança, como também o nosso ambiente ao redor, tipo de alimentação, tipo de doenças regionais e sazonais. É necessário sempre o acompanhamento de um médico para medicar-se.

Dr. Cleber Sato, foi médico no Japão muitos anos, escreveu um livro sobre Saúde da Mulher. Um dos artigos, refere-se à automedicação, que abaixo transcreveremos para melhor orientação dos brasileiros no Japão.

Os perigos da automedicação

Muitos brasileiros residentes no Japão seja por costume, conveniência ou dificuldade com o idioma, acabam apelando para parentes e amigos no Brasil para que lhes enviem aqueles <remedinhos> aos quais estão acostumados. Apesar de serem muitas vezes salvadores, alguns medicamentos podem apresentar riscos. Todos os medicamentos listados podem causar hipersensibilidade, ou seja, se a pessoa for alérgica a um deles, ao tomá-lo poderá ter um choque anafilático e morrer.

Aspirina

Feita do princípio ativo ácido acetilsalicílico, é analgésico (contra dores) e antitérmico (abaixa a febre). No entanto, pode causar gastrite e até úlcera com perfuração se tomada em excesso. Existe uma crença popular de que ela <afina o sangue> o que em parte é até verdade, mas não deve ser tomada para este fim sem a prescrição de um médico. Grávidas não devem ingerí-la.

Buscopan

Feita do princípio ativo Escopolamina, é um antiespasmódico, ou seja, alivia dores do tipo cólica, como em crises renais, em cólicas mentruais e em cólicas de gestantes. Pode causar sonolência e, em geral, é um dos medicamentos com menos efeitos colaterais. Pode ser tomado por gestantes.

Benegripe

Assim como todos os remédios antigripais, é constituído de um antitérmico/analgésico mais vitamina C, que aumenta a resistência do organismo, e um descongestionante. Portanto, não existe medicamento que combata diretamente a gripe, e sim seus sintomas. Tomando ou não tomando este tipo de medicamento, a gripe durará em média de 7a 10 dias, e o antigripal só vai aliviar os sintomas. Existem remédios desse tipo nas gôndolas das farmácias japonesas, que são vendidos sem receita médica. Não devem ser tomados por gestantes.

Bufferin

É o mesmo que a Aspirina, mas causa menos efeitos no estômago. É vendido sem receita no Japão.

Dipirona (Novalgina)

Também é analgésico e antitérmico. Pode causar problemas na medula óssea em pessoas susceptiveis. Só gestante avaliada criteriosamente por um obstetra e com receita poderá ingerí-la.

Tylenol

Feita do princípio ativo Paracetamol. Chamado também de Acetaminofeno, erve para tirar dores e abaixar a febre. É um medicamento seguro de ser usado na gestação e tem poucos efeitos colaterais.

Voltaren, Cataflan

Fazem parte dos antiinflamatórios não-hormonais assim como o Ponstan, Feldene, etc. Serve para tirar dor e diminuir inflamações. Também atacam o estômago, podendo dar gastrites e úlceras com perfuração.

Anticoncepcionais

Tem várias formulações, de forma geral possuem um derivado do hormônio estrógeno e um derivado do hormônio progesterona. São os medicamentos mais perigosos de serem tomados por conta própria, pois caso haja contra-indicação poderá causar tromboses, derrames e até a morte. Infelizmente, é o medicamento mais encomendado do Brasil, devido a dificuldades das brasileiras de acesso aos médicos japoneses, por causa do idioma. Esse fato deve-se não só à barreira linguística, mas também à legislação do Japão que determina a venda dos contraceptivos orais só com receita médica e para um ou poucos meses de uso. Mesmo quem já toma um medicmaento prescrito pelo médico no Brasil, deveria passar periodicamente por consulta de rotina para saber se pode continuar com o mesmo.

Viagra, Levitra, Cialis

São medicamentos utilizados para a disfunção erétil do homem e não tem efeitos em mulheres. Nunca devem ser tomados por diversão para melhorar o desempenho sexual, pois podem causar dependência psicológica. São contra-indicados em pessoas que tem problemas de coração e que tomam medicamentos derivados de nitratos. Recentemente saiu um estudo de que poderiam afetar a visão de algumas pessoas.

Antibióticos (Benzetacil, Amplicilina, Amoxil, Keflex)

Servem para tratar infecções causadas por bactérias, e cada um deles ataca um tipo específico delas. Não servem para combater vírus, que são os causadores das gripes e resfriados. Por isso é errado tomar antibióticos ao primeiro sintoma de gripe, como febre e tosse. Se for tomado de forma incorreta ou desnecessariamente pode levar à resitência bacteriana, ou seja, as bactérias podem se tornar fortes e resistentes ao medicamento, e numa futura infecção, o antibiótico tomado incorretamente pode não servir mais, sendo necessário um remédio mais forte, mais caro e com mais efeitos colaterais.

Vitaminas

Fazem muito bem, desde que tomadas de forma correta. A vitamina A em excesso pode causar problemas sérios principalmente em gestantes, como malformação do bebê. O excesso de vitamina C pode dar até pedras nos rins. O excesso de vitaminas do complexo B pode aumentar o apetite e deixar a urina e o suor com cheiros insuportáveis.

Poliminerais

Podem conter cálcio, magnésio, zinco, etc. O excesso de cálcio pode também dar pedras nos rins.

Anti-hipertensivos (Capoten, Hidroton, Lasix, Aldomet)

Se tomados em excesso, podem abaixar demais a pressão e causar até derrames.

Xaropes para a tosse

A tosse é um mecanismo de defesa do organismo. É um aviso de que algo não está bem e que deve ser expulso do trato respiratório. Há xaropes que inibem este mecanismo e outros que são irritantes e produzem mais tosse para expelir mais secreções. Devem ser tomados só para alívio temporário.

Corticóides (Dexametasona, Meticorten)

Utilizados para combater inflamações e alguns tipos de dores. Se tomados incorretamente ou em excesso podem dar inchaços e levar ao aumento de peso.

Calmantes (Diazepan, Valium, Dormonid)

São medicamentos que induzem ao sono e, mesmo no Brasil, são vendidos mediante retenção da receita médica, pois são de uso controlado. Podem causar dependência e não devem ser tomadas por grávidas.

Inibidores de apetite (Hipogagin, Dualid, Desobesi)

Também são de uso controlado e tem as mesmas recomendações dos calmantes.

Hormônios

Pode causar efeitos colaterais graves, como aumento de pelos e de peso, alterações da voz, etc.

Cremes ginecológicos

Aparentemente inócuos, mas se utilizados para a infecção errada podem piorar os sintomas.

Fonte: Livro Saúde da Mulher de Dr. Cléber Sato

file_21_109Dr.Cléber Sato,ginecologista,especializado em Medicina Estética,aborda neste livro os 50 principais temas ligados à saúde e bem-estar da mulher no Japão.Com base em sua larga experiência neste país,o autor trata dos problemas e doenças mais apresentados pelas brasileiras que vivem no território japonês. Editado e vendido pela IPC Books e nas lojas online da comunidade brasileira no Japão.

 

抗生物質

antibiótico kouseibusshitsu

抗炎症薬

anti-inflamatório kouenshoyaku

解熱剤

antitérmico genetsuzai

鎮痛剤

analgésico tintsuizai

O Japão tem uma lista imensa de remédios que não entrar no país. Se a encomenda que você irá receber contem remédios (pode até ser um simples anticoncepcional) poderá ser barrado na fiscalização. Os remédios proibidos serão retirados e uma carta será enviada a você, perguntando se a Alfândega poderá destruir os remédios ou se você deseja que sejam devolvidos ao Brasil. (a taxa será cobrado no Brasil). Depois de você enviar a resposta, os demais produtos da sua encomenda serão remetidos para seu endereço.

Remédios com prescrição médica quando enviados para o Japão é necessário conter o documento do médico e não ter em quantidade abusiva, somente para uso próprio.

Leitura recomendada

No Japão, não se pode comprar todos os medicamentos nas farmácias. Saiba mais sobre remédios do Japão.

Gostou deste artigo? Compartilhe com os amigos!

Compar tilhe!
Clique aqui para deixar um comentário 3 comentários